quinta-feira, 7 de agosto de 2014

NOSSA VERDADEIRA MISSÃO

Nossa tribo infelizmente vive os dias atuais num emaranhado de situações das quais nos faz esquecer nossa VERDADEIRA MISSÃO.

O jaguar oriundo de um planeta mais evoluído, que trouxe o compromisso de conduzir a humanidade para o terceiro milênio, implantar o sistema cristo na terra, pois este sistema é universal, compromisso esse, firmado com o Mestre dos Mestres, Orixá dos Orixás o divino e amado Jesus.

O jaguar está deixando prevalecer a personalidade de sua atual reencarnação, deixando que suas faixas cármicas escureça sua visão, esquecendo também que já cometeu os mesmos erros no passado.

O ciclo está se fechando, as profecias de Jesus e de nossa Mãe Mentora se cumprirão, os seres que habitam as profundezas chegaram em nossa direção pois temos o magnetismo para atraí-los.
Fizemos nossos juramentos, aqui trago um pequeno trecho, “JESUS ONDE QUER QUE ESTEJAS SEI QUE ESTARÁS ME OUVINDO” outro trecho também, O GUME DESTA ESPADA APONTADA EM MEU PEITO, É PROVA VIVA DO QUE POSSO TE DAR, FIRA-ME QUANDO MEUS PENSAMENTOS AFASTAR-SE DE TE”. Estas energias que estão chegando precisam ser manipuladas, pois temos todos os poderes que nos foram confiados por nossa mãe mentora para esse momento.

O vale negro das incompreensões estão avançando, implantando a desesperança e o medo, extraindo da humanidade todo o seu egoísmo e orgulho, fazendo prevalecer o ódio a vingança e todo o tipo de maldade.
É imperioso que façamos uso de nossas “ASAS” dadas por nosso Pai querido o grande Simiromba de Deus, ou seja, o nosso CONHECIMENTO. Sejamos as espadas vivas e resplandecentes que nossa Mãe Koatay 108 diz que somos.

Deixemos as mesquinharias de lado vamos caminhar como uma tribo que traz em seu transcendente, todo um poder cabalístico, somos magos do evangelho, trabalhamos na magia de nosso senhor Jesus Cristo, temos um plexo iniciático, façamos uso desta MAGNITUDE que Deus nos confiou. 

Vamos trabalhar façamos uso do silêncio e do amor, e tudo se cumprirá, pois não cai uma folha sem a permissão de Deus.

Salve Deus!

Adj. Armon
Mestre Airton Lima

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Calendário de Atividades Doutrinárias 2014

Espirito da verdade

"Há muitos anos venho tentando esclarecer o espírito da Verdade, porém sem qualquer pretensão ou interesse em divulgar o Espiritismo, o Espiritismo tão profanado por todas as religiões. O Espiritismo classificado de Allan Kardec é o único aceito, que ainda se respeita. Não podemos negar que somos baseados nele. Porém, eu, Neiva, ates de chegar até aqui, me comprometi nos planos espirituais impregnar na mente e no coração do Homem uma Doutrina, acompanhando o Espiritismo e o identificando como verdadeiro espiritista, sem se incomodar que seu vizinho trabalhe assim ou não. A mente do Homem vazio é ligeira e nada grava, não tendo ectoplasma para registrar suas lições, só entendendo a dor quando, egoisticamente, lhe dói ou é enganado. No entanto, o Homem que já se identificou, com convicção, como espiritista, tem base sólida, sua mente é científica e dificilmente sofre com a dor. Eu tenho por missão impregnar no Homem o amor, a tolerância e a humildade. O Homem precisa reconhecer que tudo é bom! Em cada pessoa encontramos uma lição e delas recebemos um carinho quando lhes damos. O Homem convicto de que tudo é bom deixa de ser criticado pelos outros, pois é evidente que os críticos são os exaltados. Eu sou uma espiritista, sou clarividente, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo! Tenho o meu ritual de trabalho, que não posso dizer que acompanho Allan Kardec ou que seja umbandista, e nem tão pouco do Candomblé. Não sou porque amo a minha corrente, tenho a minha missão. Recebi, em 1957, a Corrente Mestra do Oriente Maior e vibro nela, sem pretensão de ferir ninguém ou fazer os outros passarem para mim. Se não sou Kardecista, Umbandista ou do Candomblé é apenas porque tenho minha missão. Porém, amo a todos! Sei que vai haver uma unificação entre nós, porém isto é muito delicado, pois não sabemos qual será escolhida por Deus para unificar as outras três. Mas, não me preocupo quanto a isto!"

(Tia Neiva, 20.6.75)